quarta-feira, 7 de março de 2012

Liberdade de imprensa - uma ameaça a democracia

A cada argumento que leio acerca da limitação ou não da liberdade de imprensa, sinto-me atraída por um, hora por outro. Com isso podemos perceber como é belo e forte o poder da linguagem. A partir de um mesmo fato podemos fazer inúmeras interpretações. Sendo assim, como fica a questão da verdade? Se existe um fato existe uma verdade, como então seriam possíveis tantas interpretações que por vezes parece existir várias absolutamente plausíveis sob o ponto de vista lógico.
O sofista Górgias (485/380 a.C) dizia que o discurso não manifesta o objeto exterior, pelo contrário, é o objeto exterior que se manifesta no discurso”. Para este sofista a verdade não existe em si, mas na argumentação.

Caso a linguagem seja tão poderosa a ponto de não só relatar o real, mas cria-lo. As pessoas e ou instituições cujo instrumental de trabalho é a linguagem devem receber limitações, assim, como recebem todas as áreas e profissões.

Creio que o limite ao poder da imprensa, já vem a discussão tarde uma vez que já existe a censura, a do dono do meio de comunicação, dos anunciantes, do Estado que dá subvenções.

O jornalista assim  como o cidadão enquanto indivíduos  são vítimas dos donos dos meios de comunicação.  Como afirma o sociólogo Pierre Bourdieu, a televisão tem uma censura muito eficiente e camuflada, que consiste em uma perda de autonomia. Assim jornalistas e cidadãos se submetem a tirania, pois ambos não determinam o que será publicado.

Um dos argumentos mais usados em nome da defesa da liberdade de imprensa é aquele que sustenta que as pessoas têm o direito de saber, de se informarem e isso encerra e si mesmo, um dos aspectos democráticos.

Por outro lado, essa é somente uma face da democracia, mais do que direito a ter informação é direito de todo cidadão poder expressar publicamente as suas ideias. E excetuando os meios de comunicação e alguns pares de pessoas, quantos podem expressar-se publicamente de fato?

Assim sendo, sustento que em nome da democracia devemos limitar os poderes da imprensa, pois um dos princípios democráticos é o controle de todos os poderes. Em um Estado democrático qualquer poder sem limite é um risco a democracia.

Ana Souto

5 comentários:

  1. que poder tem a imprensa? o poder de sofrer condenações pelo judiciário? tenha dó.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem falou em condenação pelo judiciário?

      Excluir
  2. tenho medo da censura, mas tem que haver limite, complicado umm meio termo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim censura é sempre algo desprezível , por outro lado, faz se necessario limites dentro de uma democracia. Mas encontrar a justa medida é mesmo difícil. Penso que o caminho é o debate.

      Excluir